SAC - Trote

Passei na UFES e o que eu posso dizer além de agradecer a Deus todos os dias, é: QUE ALIVIO ! Que alivio porque a mamãe não vai passar na minha cara todos os dias que ela pagou escola pra mim a vida toda e ainda vai pagar faculdade "ah Rebecca, sua mãe não faria isso contigo"  faria sim, e ela até ja tinha dito, além do mais ela está desempregada (quem tiver uma empresa, ou um parente viúvo/desquitado e ryco favor entrar em contato comigo) então não poderia pagar faculdade pra mim. Contudo eu passei, galera, passei sem cotas e com pouca melanina !
Porém, como tudo pra Bequinha não vêm de "mão beijada" no dia do trote as coisas deram um pouquinho errado...  Começando pelo dia anterior, que perdi o sono (mais que em dias comuns) e fui dormir 5:30 da madruga, acordei atrasada almocei sem salada "nossa Rebecca, que frescura!", e quando fui tomar banho não tinha água no chuveiro, até então tranquilo, fui lá, sem murmurar tomar o meu delicioso banho de balde, sim, banho de BALDE a la "Gabriela". 
Tirando os funkeiros de sempre, a ida à universidade foi tranquila, tive que esperar e esperar até que fiz minha matricula, então: prazer, Universitária ! Depois chegou o tão temido pelos calouros, o trote. Foi tudo muito divertido, até o toba recheado de fubá, café em todos os poros do corpo, e até tinta no ouvido, foi um momento agradável; sem frescura. 
Estava irreconhecível, entrei no ônibus e um garotinho futucou a mãe morrendo de medo de mim, as pessoas se afastavam e ficavam me encarando, algumas me perguntavam porque eu estava daquele jeito, a melhor parte disso tudo é que ninguém teve coragem de me encochar no ônibus. Inclusive tive a maravilhosa ideia de ficar fazendo face de deficiente mental, assim ninguém me olharia com maldade nem nojo (quero que fique claro que eu não sou uma deficiente de verdade, visto que eu estava acompanhada no ônibus, então quem sofreu por vergonha foi meu namorado, e não eu). 
Cheguei em casa super animada pra contar a mamãe como tinha sido o meu trote, quando eu recebo a noticia "o chuveiro está com problema, Becca. Não ta caindo nem gota de água". Jurava que ela estivesse brincando comigo, mas infelizmente não foi brincadeira, era a mais pura verdade, fui abri-lo e caiu apenas uma gotinha de água. Tive que ir lá fora, tirar o grosso com a mangueira hmm e "lavei" meu cabelo no tanque, depois tomei um outro banho de balde. Sequei meu cabelo e até poucas horas atrás estava  ele estava parecendo uma vassoura. Fora que uma das tintas não saiu e estou parecendo ter uma mancha azul de nascença no pescoço, "ai Rebecca, que péssimo" nada disso, vou usar isso como se fosse doença pra sentar sozinha em banco de ônibus. 
Na hora de dormir eu só conseguia sentir o cheiro de café, tenho certeza que ainda tem café nas minhas foças nasais e em alguns poros. Contudo foi uma das melhores experiencias da minha vida, estou ansiosa pra recolher dinheiro no sinal, não, não pretendo fazer da sujeira de ontem a minha "profissão" e virar mendiga não, isso só é o próximo trote  !